terça-feira, 24 de janeiro de 2017

NOTAS SOBRE ESCOLHER FICAR






Falamos sobre músicas, trilhas, e  pôr do-sol.
Falamos de desenho animado e de coisas de infância.
Falamos de doenças e síndromes diversas, falamos de bebidas e de flores. 
Falamos de viagens, lugares, e bares...
Falamos de futebol, filmes e livros.
Falamos sobre passado, amores, alegrias e decepções.
Falamos de comidas, cervejas e ervas.
Falamos de gestão e personalidades, falamos de relacionamentos e de experiências...
De risos e de dores...
De loucuras e medos.
Falamos de nós e para nós, falamos de vida e de como já desejamos a morte.
Falamos de sonhos, de fracassos, perdas e paixões.
Falamos de Deus, do céu, do universo e da gratidão.
Falamos do amor...
Vivemos o amor, fazemos amor.
O nosso amor.

E com isso a magia do tempo foi assim nos nos envolvendo, nos aproximando, no comum e no incomum, nas semelhanças e também nas diferenças, nos problemas e na paz...

Na paz do nosso abraço. 
Na confiança da entrega.
Na certeza de estar no lugar certo.

O que parecia ser tão simples, se tornou nossa necessidade, nossa verdade, nossa cumplicidade.

Isso, é o que escolho.

Helen Burgarelli




segunda-feira, 7 de novembro de 2016

NA INTENSIDADE

Prazer, nasci com a alma transbordante.


Sinto tudo derramando, e não sei explicar porquê acontece e se há algum remédio para isso.

Se houver cura, dispenso. As coisas normais não me atiçam. Não me aceleram. Não me continuam.
Preciso da sofisticação do que é aparentemente simples. Do abraço da brisa nos poros. Dos respingos do sol adornando a tarde. Da carícia na ponta dos dedos, da massagem demorada nas costas. Preciso sentir que há um outro. Preciso senti-lo existindo, respirando perto, pulsando, trocando ideias e experiências. Preciso dessa vizinhança das almas que conversam até mesmo sem nada dizer.

O ritmo lento da normalidade não me empurra, não me anima. Não me agita. Não me faz querer voar para a voragem dos olhares que troco na rua, para os encontros que fazem com que as almas se encaminhem para dentro de si mesmas e se abracem por dentro.


Eu não nasci para o morno. Eu não nasci para a realidade pálida que não se oferece à ousadia. Eu não nasci para os dias parados e sem cores. Eu nasci para pintar. Eu nasci para amar intensamente, de dentro para fora! Por dentro e por fora, sem medo do não e do adeus repentino. O único medo é não avançar quando quero. Não amar quando posso. Quando o coração sinaliza que já não dá para desconversar e mudar a estrada.


Eu nasci para o fogo, para intimidade quente de um cobertor dividido. Para um sorriso que se abre sem procurar motivo. Para o café forte coado no coador de pano. Para o delírio de uma bela canção executada no violino.


Quem é intenso, é delicado, é esvoaçante. Tem renda no pensamento e mania de levitação.

Ser intenso é reconhecer-se em tudo, é colocar borda na alma dos outros. É retirar o tapume dos olhos quando a realidade ameaça a doçura.

Quem é intenso sabe o quanto pode ser considerado estranho por “sentir demais” num mundo de palavras e sentimentos tão mecânicos, onde qualquer demonstração de afeto é confundida com fraqueza.


Fraco é quem não sabe mais sentir. Quem não sabe abraçar com o olhar. Fraco é quem joga a toalha e vive no modo “automático”. Sentindo pouco, guardando emoções para usar depois, estocando sentimento para uma oportunidade especial. Especial é ser intenso. E quem disse que não tem lágrimas?


O coração do intenso não é blindado. Vez ou outra, uma pancada forte o acerta em cheio, e ele, dolorido, reclama, arde, soluça no travesseiro e pede proteção. A tristeza às vezes bate à porta, maltrata, derruba algumas certezas, revira alguns sonhos, esculacha, mas não é capaz de matar a esperança.

A esperança nos intensos é como um membro primordial do corpo, não é possível arrancar. Não se desfaz à toa. A esperança nunca anda só. Quem tem esperança tem artimanha e carta na manga para reerguer o castelo depois da tragédia e ainda sobra disposição para fazer graça.
O grande trunfo do intenso é, sem dúvida, a sua capacidade de não saber disfarçar o que sente. Os sentimentos estão sempre falando alto, se espalhando pelos gestos, orquestrando as ações. O intenso nunca nega o que é. A alma não deixa…


♥♥♥
(Palavras que falam por mim: http://obviousmag.org/ceu_nos_olhos_fuligens_das_nuvens/2016/o.html#disqus_thread)
♥♥♥

quarta-feira, 18 de maio de 2016

PORQUE CICLOS SE ABREM E SE FECHAM

Porque ciclos se abrem...e se fecham...

Esses últimos 7 dias foram fortes demais,  onde me fez chegar a uma crise que há meses não sentia, e até briguei com Ele querendo entender  essa permissão a tudo isso acontecer...
Foram dias de muitas lutas, interior e exterior, com decepções  julgamentos, fofocas, desafios, injustiças comercial, noticias negativas financeiras, pessoas saindo da sua vida de forma brusca e sem sentido, pessoas que se ama distantes, ...e assim a paz foi sendo roubada de mim, e alegria sendo usada através de máscaras,  até que  uma hora essa dor acaba por transparecer mesmo tentando tirar um sorriso...

Só sabia questionar, o por quê  de tudo isso, tentar entender já estava fora de questão,  daí olho pro lado e percebo que tenho anjos que Ele coloca para me chamar a olhar com os olhos da fé para tudo isso...e aos poucos vou compreendendo que esta tudo mais que certo...tudo mais que verdadeiro...que justo...e principalmente, o MELHOR em tudo isso ser permitido...

Afinal de contas, estamos falando de um ciclo novinho dando inicio,  são mais doze meses prontos  para uma nova história, com novas pessoas (pessoas escolhidas a dedo) e momentos escolhidos para viver o novo, o renovo, e histórias perfeitas para se recordar.

Como somos ingênuos quanto a Grandeza do Seu Amor e Misericórdia, como sabemos muito pouco do que nos espera estando sob seu olhar...é incrível como sou redirecionada sempre que dou um passo fora desse Seu cuidado.

Gratidão define tudo isso!!!

Obrigada Pai por me cercar, proteger e amar desde o ventre dela , até o que sou hoje, obrigada por sondar e conhecer meu coração, com minhas intenções, verdades e medos, e ainda assim ter cada vez mais amor a me conceder...

Só posso dizer: - Abba Pai...Usa-me, sou seu Milagre de Amor!

VIVENDO O NOVO DE DEUS





 Helen Burgarelli

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

NQUELE MOMENTO

Naquele Momento


Durante tempos eu vivi olhando meu mundo de forma limitada e inconstante...sempre muito empolgante para poucos atrativos...sonhos sim...planos nunca...em busca do apaixonante momento da vida futura....

Sabe aquele momento? Sim, Naquele Momento, onde Ele sempre se faz Presente,  pude olhar para dentro, sentir a Força, a Garra e os Sonhos...sim sempre eles...mas projetados, alicerçados, e devidamente orientados.

Ter lições do ontem sendo vividas no hoje com a dura realidade do sentir, é que nos impulsiona, é o nos motiva...

Encontrar nas gentilezas, e simplicidades do dia-dia vividos nesse mundo o sentido que se faz real...
 e o sentir se faz na falta...
...na loucura...na verdade...

nos resta Amor?


      ... Amor sempreeeeeeeeeee!!!!



No Hoje, a busca inquietante, o som do tic tac do relógio...

Já estamos vivendo dias de novos outonos, e mais uma vez a contagem regressiva de novas conquistas se aproximam.


Helen Burgarelli


quarta-feira, 16 de abril de 2014

PESSOAS

Incrível como precisamos das pessoas para ter nossa vida acontecendo...
Divagando sobre minhas histórias, minhas muitas histórias...
Divagando sobre meus lares, meus muitos lares...
assim como escolas, amigos, pessoas...e mais histórias...

...vim percebendo o quanto pessoas são essenciais em nossas vidas ...

Através de cada uma delas nossas histórias vão se construindo...e parte do nosso caráter, personalidade, educação, opiniões, ideologias, filosofias, crenças, tradições, escolhas, sonhos....
...gostos musicais, gostos culinários, gostos culturais e esportivos...
enfim...

Pessoas nos geram...pessoas nos ajudam a ser completados...e o mais incrível que quanto mais pessoas...mais histórias...mais vida...

uauuuuu....
Muito louco (positivamente falando) tudo isso...

Como seria meu hoje se certas pessoas não tivessem passado por mim numa fase de mudança muito significativa...como teria sido sem ou com elas???
E as escolhas que faço hoje...tem sempre uma total influência por determinadas pessoas...
Nunca e nada é só por nós mesmos, já reparou???

Sempre é por alguém, ou para alguém...

E se eu escolher, se você escolher... querer viver por si, como seria a história???
Haveria história?
Sem história, sem vida.

Como sobreviver em um mundo feito para ser total dependente um do outro, do talento do outro, do dom do outro, do profissionalismo do outro, da gentileza do outro...
Em resumo...

Precisamos seempreeee um do outro...


Mesmo eu escolhendo viver pra mim, dependerei sempre do padeiro acordar na hora certa e não perder a hora dos pães no grande forno da padaria...
...dependerei do povo da roça que acordou com as galinhas para ir colher o trigo que   
que o padeiro ira precisar para fazer o pãozinho delicioso que eu como...

Ficaria aqui divagando sobre esse assunto até amanhecer, mas não preciso disso para continuar firmando uma coisa total verdade para mim.

Pessoas, Histórias, Vida...
Eu, Minhas Histórias, Minha Vida...
Mais Pessoas, mais Histórias muito mais Vida!!!

Helen Burgarelli

leitura http://www.mundodastribos.com/como-nao-se-apegar-as-pessoas.html



sexta-feira, 7 de março de 2014

GRATIDÃO








"Com Ele me encontro,

No silencio de minha pobre Alma,

Ele me fala,

E em Gratidão me coloco,

pois eu o Ouço...

nos detalhes...nos mínimos detalhes...

Ele se faz suave e discreto...

Mas grandemente notável!

Gratidão!!!"

Helen Burgarelli